Livro Remanescentes da Mata Atlântica

 

Livro Remanescentes da Mata Atlântica Ricardo Cardim pre venda

O que foi a floresta original? Qual era o tamanho das suas árvores? Como desapareceu tão rápido? O que sobrou? Esse livro, de autoria de Ricardo Cardim, apresenta uma inédita história visual da Mata Atlântica, considerada hoje um dos hotspots da biodiversidade mundial, desde os seus primeiros registros, transformações e o que sobreviveu.

Com iconografias e fotografias históricas, além de imagens do renomado fotógrafo Cássio Vasconcellos e aéreas do botânico Luciano Zandoná em seis expedições a locais ainda bem preservados do bioma, o livro apresenta mais de 500 imagens, 344 páginas e grande formato à cores. Como foi um livro patrocinado por empresas privadas e sem nenhum tipo de isenção fiscal, conseguimos um valor mínimo perante a qualidade da obra. Compre seu exemplar em:

 

https://olhares.store/produto/remanescentes/

 

Em outubro de 2018, o trabalho para o livro foi capa do jornal FOLHA DE SÃO PAULO:

livro remanescentes da mata atlantica Capa - O botanico Ricardo Cardim aos pés da maior figueira conhecida na Mata Atlântica, descoberta no Legado das Aguas, a 90 km da capital paulist

livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim folha de sao paulo.jpg

Também saiu na REVISTA DA GOL:

livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim revista da gol

Guardiões da Floresta – Domingo Espetacular da Rede Record

 

Revista ISTOÉ

Revista ISTOE Ricardo Cardim livro remanescentes da mata atlantica

 

Abaixo, algumas árvores fotografadas durante os 12.500 km percorridos durante as 6 expedições atrás das árvores gigantes remanescentes da Mata Atlântica original:

Ricardo Cardim livro remanescentes da mata atlantica

 

Ricardo Cardim figueira legado das aguas votorantim livro remanescentes da mata atlantica

 

grande araucaria com luciano zandona cassio vasconcellos ricardo cardim em expedicao para o livro remanescentes da mata atlantica

 

imbuia secular com luciano zandona cassio vasconcellos ricardo cardim em expedicao para o livro remanescentes da mata atlantica

jequitibá a MATRIARCA livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim

 

livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim museu da casa brasileira

 

Ricardo Cardim e Cassio Vasconcellos expedição para o livro remanescentes da mata atlantica

 

peroba rosa livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim

 

Luciano Zandona e Ricardo Cardim expedição para o livro remanescentes da mata atlantica

 

jequitibá o patriarca livro remanescentes da mata atlantica ricardo cardim

 

Release oficial:

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, gerido pela Sociedade Civil por meio de A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, em parceria com a Editora Olhares, lançará o livro “Remanescentes da Mata Atlântica – As Grandes Árvores da Floresta Original e Seus Vestígios”, de autoria do botânico e paisagista Ricardo Cardim, no dia 27 de novembro, com entrada gratuita.
A publicação, que deriva da mostra Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB, apresenta uma história visual desde a floresta primitiva original até o que restou do bioma atualmente, incluindo desenhos dos viajantes dos séculos passados, fotografias, registros do processo de desmatamento e vestígios materiais, tais como mobiliário (incluindo acervo do MCB), construções e ferramentas.
Para complementação do conteúdo a ser apresentado, expedições a diferentes pontos da Mata Atlântica, em busca dos últimos espécimes de grande porte, ocorreram no período de julho a setembro deste ano nos estados de SC, PR, SP, ES, BA e AL. Além de Ricardo Cardim, participaram o fotógrafo Cassio Vasconcellos e o botânico Luciano Zandoná. Os registros desta empreitada, produzidos também com uso de drone, estarão presentes no livro.
“A ideia é lançar uma semente para um futuro museu da Mata Atlântica, uma provocação para que comecemos a formar um necessário e inédito acervo que conte a história de nossa floresta para esta e as futuras gerações”, adianta o autor.
Para o Museu, trata-se também de chamar a atenção para aspectos ambientais relacionados direta ou indiretamente com a produção de mobiliário que tem como matéria prima a madeira maciça, tão presente na história de nossa cultura material.
Os patrocinadores do livro são a Fibria Celulose (atual Suzano Papel e Celulose), Reservas Votorantim, Viveiro Fábrica de Árvores, Café Orfeu e Avenues School São Paulo.

Anúncios