A última floresta e brejos nativos do Rio Pinheiros estão condenados a virar concreto em frente ao Parque Burle Marx no Panamby

Vista da área em frente ao Parque Burle Marx

Vista da área em frente ao Parque Burle Marx – restos de um Rio Pinheiros que já teve curvas sinuosas, brejos e muita biodiversidade

Aquilo que na verdade todo paulistano frequentador do Parque Burle Marx, no Panamby – Zona Sul, pensava que era um pedaço do querido parque repleto de Mata Atlântica não passava infelizmente de uma farsa. A área com 5000 árvores é privada e não tem nada a ver legalmente com o parque… Mais uma pegadinha para o já tão sofrido verde e qualidade de vida da metrópole. E a sentença de morte da área já parece que está anunciada com a intenção de se construir ali mais algumas torres e shopping.

Área que está sendo ameaçada de desaparecer junto com sua raríssima fauna e flora

Dentro do tracejado amarelo, a área que está sendo ameaçada de desaparecer junto com sua raríssima fauna e flora

O absurdo dos absurdos em qualquer país civilizado. A convite do advogado Roberto Delmanto,  que representa três associações de moradores da região, visitamos a área e elaboramos um laudo técnico sobre sua biodiversidade. O resultado foi totalmente surpreendente. Começou com a interessante mata ciliar (um tipo de Mata Atlântica que habita a beira dos rios, áreas alagáveis) repleta de espécies típicas das antigas margens do Rio Pinheiros quando ainda era selvagem, há cerca de 80 anos atrás. Exemplos são árvores como ingá, copaíba, jacatirão e figueira-brava.

Entre a mata, pequenos riachos cristalinos desembocavam em lagoas habitadas por peixinhos e pererecas, cercadas por brejos com plantas extintas na atual malha urbana, e tudo isso a poucos metros do poluído trânsito da  marginal pinheiros e o seu finado rio. Saindo dos brejos chega-se a um campo com várias espécies típicas dos ameaçados campos cerrados de São Paulo, como a rara língua de tucano mirim (Eryngium elegans). Em meio ao capim, assustada, uma marreca-caneleira sai de cima de seu ninho com 11 grandes ovos, pássaro aquático que já foi abundante no Rio Pinheiros. Realmente um pedaço do passado da maior metrópole brasileira, uma área que reúne diversas paisagens naturais desaparecidas pela nossa intensa urbanização.

Além de ser obviamente protegida pela legislação devido a condição do terreno com seus riachos e lagoas, nada pode autorizar legalmente ou justificar economicamente a destinação do local senão como parte do Parque Burle Marx.

Abaixo, a conclusão de nosso Laudo:

“A área avaliada contempla diversos elementos importantes da biodiversidade original da cidade de São Paulo. Entretanto, dentre esses elementos, um deles apresenta imenso valor ambiental e histórico para os paulistanos: os trechos remanescentes das várzeas e florestas inundáveis do Rio Pinheiros, únicos sobreviventes dessa formação ecológica tão dilapidada.

Preservar tal área, em sua totalidade, é de suma importância como patrimônio ambiental, cultural e histórico que constitui, e se nos espelharmos na imagem da personalidade que batizou o parque adjacente ao terreno, Roberto Burle Marx, defensor e divulgador incansável da nossa biodiversidade, torna-se ainda mais emblemático e necessário o seu tombamento e preservação para aproveitamento das atuais e futuras gerações de paulistanos.”

Ninho com 11 ovos que a marreca-caneleira está chocando na área

Ninho com 11 ovos que a marreca-caneleira está chocando na área

Desenho da marreca-caneleira, uma ave do tamanho de um pato doméstico. Fonte livro Fauna Silvestre

Desenho da marreca-caneleira, uma ave do tamanho de um pato doméstico. Fonte: livro Fauna Silvestre – Quem são e ondem vivem os animais na metrópole paulistana

Brejo natural em frente a Marginal do rio Pinheiros,  próximo aonde foi encontrado ninho.

Brejo natural em frente a Marginal do rio Pinheiros, próximo aonde foi encontrado ninho e deve ser fonte de alimento da marreca.

 

Riacho com água cristalina e peixinhos ao lado do morto Rio Pinheiros

Riacho com água cristalina e peixinhos ao lado do morto Rio Pinheiros

Lagoa com pererecas e peixes que parece ter saído de uma São Paulo de 200 anos atrás.

Lagoa com pererecas e peixes que parece ter saído de uma São Paulo de 200 anos atrás.

 

Uma surpresa: orquídea nativa das antigas florestas do Rio Pinheiros. A árvore onde ela está já tem uma demarcação com um número suspeito.

Uma surpresa: orquídea nativa sobrevivente das antigas florestas do Rio Pinheiros. A árvore onde ela está já tem uma demarcação com um número suspeito.

Uma imponente figueira-brava da Mata Atlântica, uma Ficus organensis, da mesma espécie da Figueira-das-Lágrimas e da Figueira do Largo da Memória

Uma imponente figueira-brava da Mata Atlântica, uma Ficus organensis, da mesma espécie das emblemáticas Figueira-das-Lágrimas e Figueira do Largo da Memória

língua-de-tucano-mirim (Eyngium elegans) em frente ao Parque Panamby

língua-de-tucano-mirim (Eyngium elegans) em frente ao Parque Burle Marx – planta rara típica dos antigos “Campos de Piratininga”

 

arbusto frutífero dos campos cerrados, a pixirica (Leandra lacunosa)

Um antigo sabor esquecido dos campos cerrados, o arbusto frutífero conhecido como pixirica (Leandra lacunosa)

 

Assim eram as amrgens dos rios paulistanos antes de serem sepultados sob o asfalto.

Assim eram as margens dos rios paulistanos antes de serem sepultados sob o asfalto. Só sobrou ali, nesse pequeno terreno em frente ao Parque Burle Marx, Panamby, que agora pode virar um shopping

 

Para saber mais leia a matéria que saiu no Jornal O Estado de S. Paulo de domingo:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,empreendimentos-ameacam-emparedar-parque-burle-marx-e-cortar-5-mil-arvores,1138788,0.htm

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,areas-preservam-fauna-e-flora-de-mata-atlantica,1138696,0.htm

 

Ricardo Cardim

Anúncios

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em Árvores históricas de São Paulo, árvores brasileiras, árvores com epífitas, árvores nativas, bairro de Pinheiros, Biodiversidade paulistana, Botânica, campos cerrados em São Paulo, curiosidades do verde paulistano, destruição do verde em São Paulo, guia de árvores em São Paulo, História de São Paulo, marginais Tietê e Pinheiros, Mata Atlântica, meio ambiente, meio ambiente urbano, meio ambiente urbano em São Paulo, orquídeas, São Paulo, sustentabilidade urbana, verticalização de São Paulo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

23 respostas para A última floresta e brejos nativos do Rio Pinheiros estão condenados a virar concreto em frente ao Parque Burle Marx no Panamby

  1. Osias Correa disse:

    Algo precisa ser feito para conter isso…

  2. Valmir disse:

    E não há realmente nada que possa ser feito a respeito? São Paulo sempre me decepcionando.

  3. Ana Dulce Maraschin disse:

    RicardoEst programado para o dia 31 de maro s 17 hs. no Largo do Patriarca o”PRIMEIRO ATO EM DEFESA DOS PARQUES AMEAADOS DE SO PAULO”NO PODEMOS MAIS ACEITAR A DESTRUIO DE NOSSOS PARQUES!

    Date: Tue, 11 Mar 2014 23:36:49 +0000 To: adp.maraschin@hotmail.com

  4. Roberto Delmanto Junior disse:

    Caro Ricardo, que maravilha ! Parabns !

    Nesse final de semana estarei no Uruguai, voltando domingo noite.

    No outro final de semana seria possvel ?

    Estou no aguardo do oramento aqui para o prdio !

    Se tiver uma pequena apresentao de fotos com o oramento, nos ajudaria bastante na Assemblia de Condminos !

    Abraos

    Roberto

  5. Cristiane disse:

    Ricardo, tudo bem? Fiquei muito triste em saber dessa notícia, sobre a vegetação do parque. Outro dia fui conhecer a área e fiquei encantada, e também até curiosa, porque há uma casa antiquíssima protegida de invasão e por estar em estado lastimável e não há placa falando se é de algum tempo histórico. Gostaria de saber se não há nada, a mais, que possamos fazer para evitar que destruam a vegetação dessa área? Porque, sabemos que, às vezes, mesmo com laudos, os particulares conseguem liberações.. Talvez um abaixo assinado?

  6. Ana Claudia disse:

    Olá!Boa tarde!
    Parabéns pelo trabalho e coração que hoje muitos não possuem…Amar e preservar o que Deus nos deu!
    Não resido em São Paulo, mas gostaria de ajudar em algo!
    Alguém fez algum abaixo-assinado???Ou protesto???
    Tenho uma irmã que reside em São Paulo e é triste ver que cada vez mais a fauna e flora são “empurrados” para bem longe de nós…fico a pensar…até quando???….agirão assim e até quando, ainda teremos natureza!

    Quero ajudar!
    Att, Ana.

  7. Pingback: A última floresta e brejos nativos do Rio Pinheiros estão condenados a virar concreto em frente ao Parque Burle Marx no Panamby | Hum Historiador

  8. carlos martins disse:

    E o que fazer?

  9. Idila oliveira disse:

    Precisamos agir e divulgar esse absurdo!

  10. Claudio disse:

    A sociedade precisa ter consciência da importância da preservação desse tipo de área e cobrar ações do poder público. Somos todos responsáveis pela manutenção do parque.

  11. Eh triste demais…..acabar com essa maravilha, uma das poucas que nos restam…

  12. Tininha Calazans disse:

    EST SE PLANEJANDO FAZER ALGO?

  13. Jos Geraldo Rosa Assuno disse:

    CARO RICARDO PEO ATUALIZAR MEU EMAIL: CANCELAR O zege2012@hotmail.com NOVO EMAIL : ZEGE2013@HOTMAIL.COM Abrao. Jos Geraldo Rosa Assuno. Date: Tue, 11 Mar 2014 23:36:47 +0000 To: zege2012@hotmail.com

  14. Vera Takeuchi disse:

    Se ainda não foi feito, sugiro iniciar uma petição na Avaaz ou Change.org ou outro site do gênero.

  15. Ricardo,

    Não há nada que se possa fazer? Algum tipo de pressão pública está acontecendo? Sou biólogo do IB/USP e gostaria de pelo menos divulgar algum abaixo-assinado ou coisa parecida para os colegas lá no instituto.

    abraço e parabéns pelo trabalho.

  16. Dá vontade de morrer.

  17. Rodolfo Luz disse:

    Olá Ricardo. Sou geógrafo e estou finalizando minha tese de doutorado que indica que está área é realmente um remanescente da antiga várzea e baixos terraços do rio Pinheiros. Ainda não há nada publicado, defenderei a tese após agosto, mas posso disponibilizar algum material, tendo em vista a urgência do caso. Entre em contato!

  18. André disse:

    Parece que as associações de bairro estão obtendo resultado… mas por quanto tempo? http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,mata-nativa-faz-obra-ser-barrada-na-marginal,1544075

    • Tem que ter pressão pessoal. Apoiar ao máximo os movimentos de defesa dos bairros e das áreas verdes. A questão ambiental pode ser prioritária com este mandato municipal. Houve recuos no Parque dos Búfalos e está havendo uma grande luta para criar o parque Augusta. Com o termo de compromisso para a criação do plano municipal de conservação e recuperação da Mata Atlântica, há mais um motivo para manter essa vegetação no Panamby também. Vamos pressionar que a vitória é garantida!

  19. Kelly Publio disse:

    Ricardo, agora que passaram 2 meses, sabe dizer como estão os processos? Posso, ainda, enviar carta de apoio?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s