Mansão e árvores centenárias aguardam desaparecer na Avenida Paulista

 

 

Ela é a casa mais antiga sobrevivente dos tempos dos “Barões do Café” na Avenida Paulista. Pertenceu a Joaquim Franco de Mello, que a edificou em 1905 e ainda conserva no pedaço de quintal remanescente um grupo de grandes árvores nativas da Mata do Caaguaçu, outrora senhora de toda a extensão da avenida.

Mansão de grande luxo e imponência, certamente já teve dias melhores. Após diversos usos recentes completamente inadequados como feiras de artesanato e até “festas de arromba” está infelizmente e literalmente, caindo aos pedaços. É possível ver em frestas, seus papéis de parede importados da Europa caindo das paredes. Mas suas árvores, embora senhoras de idade avançada, continuam com boa saúde.

Como vizinha de muro com o Parque Mário Covas é de se surpreender como ainda não foi restaurada e anexada a essa área pública. Ouço há muitos anos desculpas dos governantes nos jornais relatando entraves burocráticos e de espólio dos proprietários como desculpa para o seu abandono. Até quando vamos esperar alguma decisão – quando a velha casa desmoronar e com ela parte importante de nossa história? Ou quando inventarem um novo shopping e torre de escritórios como no finado terreno da extinta Mansão Matarazzo alegando que o imóvel é “irrecuperável”?

Com um novo Centro Cultural no casarão e sua fusão no Parque Mário Covas, ganham todos. A população, o turismo, a cultura e história paulistanas, e também o meio ambiente e biodiversidade.

Quando esse muro será derrubado e tudo entregue aos paulistanos?

 

Ricardo Cardim

 

 

 

Anúncios

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em amigos das árvores de São Paulo, Árvores de São Paulo, Árvores históricas de São Paulo, Biodiversidade paulistana, História de São Paulo e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

15 respostas para Mansão e árvores centenárias aguardam desaparecer na Avenida Paulista

  1. dalva disse:

    Fui conhecer (muito tardiamente para mim) uma outra preciosidade nesta mesma Avenida Paulista: a Casa das Rosas. Fiquei encantada e, na volta, passei em frente dessa casa de Joaquim Franco de Mello, e lamentei o seu abandono, o perigo que ela corre de virar outro monstrengo, mais um estacionamento estupidamente cheio de carros onde só deveria circular o metrô. Eta povinho danado, esse nosso!

  2. Regina Feola disse:

    também amo Sao Paulo ! e SP do sec XIX deixou -nos um tesouro historico ! somos os herdeiros destas maravilhas e temos que defendê-los e preserva-los restaurando e aproveitando como centros culturais como foi sugerido. Ministros da Cultura tem esta obrigaçao e dever ,mas se dao as costas pouco se impoirtando cabe a nos Paulistanos pegar nas maos esta restauraçao .Quem ganha é Sao Paulo e o turismo também!
    Regina feola

    • Ricardo Cardim disse:

      Obrigado Regina! Não podemos deixar acontecer o mesmo que com a mansão matarazzo, dinamitada!

      abs

  3. Gustavo Moreira disse:

    Essa residência é particular e o dono, neto do construtor, esta atolado em dívidas com a prefeitura. O governo tomba o imóvel mas não facilita em nada sua conservação, parece que querem vê-lo demolido. Essa casa, a primeira da Vila Formosa (ZL de SP) foi demolida nessa semana: http://www.saopauloantiga.com.br/casarao-avenida-eduardo-cotching-549/ consegui salvar muitas espadas de são jorge que foram largadas pela demolidora (Ferreira Santos), infelizmente não posso fazer o mesmo pelas árvores.

    • Ricardo Cardim disse:

      Olá Gustavo,

      o duro é essa senasação de impotência quando damos de frente com os interesses do $$ e não de nossa cidade e população. Valeu os links, esse site é mesmo muito legal!

      abraços

  4. Gustavo Moreira disse:

    Esse outro casarão possuí um jardim super interessante também: http://www.saopauloantiga.com.br/casarao-rua-cincinato-braga/ funciona um estacionamento ao redor da casa, creio que algumas árvores foram cortadas.

  5. André Gomes dos Santos disse:

    Muito interesante esse palacete… vários estilos unidos (Luiz XV, Rococó, Renascentista e Árabe).
    Uma bela e escandalosa construção. Merece ser preservada e transformada em, quem sabe, numa Casa Cor. Abraço Ricardo. Bela postagem.

  6. Joyce disse:

    Nossa eu não Nasci em São Paulo, mais tenho amor por essa Terra, sou Uma apaixonada por casarões antigos e fico triste Por que as pessoas não conservam, principalmente os governantes.. Muito triste

  7. Marcelo disse:

    Quero saber se alguém já tirou foto de todos os detalhes (externos e internos desta casa). Há anos sonho em desenhá-la ou fotografá-la minuciosamente.

  8. Luciano Slaviero disse:

    Eu amei esse casarão. Sou um jovem apaixonado por antiguidades. sou muito ligado ao passado. Ricardo Cardim, você saberia me dizer se alguém mora la? Saberia me dizer a quem pertence? Um abraço.

  9. Olá….um restauro e deixa-la impecável e eterna na sua forma original…..nem pensar ou cabível?

  10. Juliana disse:

    Recentemente tirei uma foto desta mansão quando estava de passagem pela Avenida Paulista e apareceram alguns vultos com formas humanas em uma das sacadas. Não que eu acredite em algo, mas achei no mínimo curioso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s