Perfumes do passado – a floração do manacá-de-cheiro

Essa é uma das raras espécies nativas da Mata Atlântica amplamente usadas no paisagismo. É verdade que já foi mais, mas ainda é fácil encontrá-la por aí. Trata-se do manacá-de-cheiro ou manacazinho (Brunfelsia uniflora), da família Solanaceae. Nos  jardins das casas paulistanas do começo do século passado, com amplos quintais, ele era presença certa e perfumava os arredores com suas flores brancas e azuis.

Passear na cidade de São Paulo no começo dos 1900, era uma experiência olfativa interessante, principalmente na primavera e verão. Podia-se sentir diversos cheiros diferentes no mesmo quarteirão dos bairros residenciais. O manacazinho, junto com as flores de laranjeiras, jasmim, camélias e dama-da-noite criavam demarcações locais e representavam o gosto do proprietário e suas memórias.

Hoje com quase todos paulistanos morando em apartamentos ou casas sem quintais, e as ruas sem jardins particulares, uma boa opção de trazer esse bem-estar olfativo e nostálgico é cultivar o manacazinho em vaso, onde ele vai bem. Para conhecer, na cidade existe um belo exemplar na Casa Bandeirista do Butantã, que vale o passeio.

Ricardo Cardim

 

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em Árvores de São Paulo, Árvores históricas de São Paulo, árvores floridas, árvores nativas, árvores ornamentais, História de São Paulo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

10 respostas para Perfumes do passado – a floração do manacá-de-cheiro

  1. dalva disse:

    Viajei no tempo agora! Lembrei da dama-da-noite que tinha no alpendre da casa do meu avô, e seu perfume embriagante.

    • Ricardo Cardim disse:

      É Dalva, esse efeito tb eu sinto… essas plantas nos transportam a outros lugares e tempo, tanto que tenho uma dama-da-noite em minha varanda. abraços

  2. Bruno Balboni disse:

    Legal! E eu achava que ela tinha todo jeito de exótica… Muito bom saber que é nativa, vou começar a utiliza-la!

    Numa pesquisa, encontrei que ela ocorre na Amazônia, Cerrado e Caatinga também! Uma boa opção paisagística para todo o Brasil.

    Abraço!

  3. vinicius marson disse:

    Tem uma relação mto interessante q é com a dos manacás com a borboleta do manacá (Methona themisto), bem comum aqui em São Paulo. Sua larva – muito bonita (preta e amarela) – se alimenta exclusivamente com as folhas do manacá. Aliás, uma amiga me disse que essa era uma relação simbiótica, q a larva exerceria uma espécie de poda natural q favorecia os galhos mais fortes, vc já ouviu algo sobre isso? pesquisei e não achei nada…abrço!

    • Ricardo Cardim disse:

      Olá Vinícius, já ouvi falar sobre isso, mas não acompanhei ou pesquisei mais a fundo. Boa sugestão. abs

  4. joedir ribeiro dos santos disse:

    gostaria de saber quem sabe onde encontrar o perfume flor de monaca

  5. José Antonio disse:

    Meu Deus , quando eu passo ali em frente ao clube Tiete aqui em São Paulo, eu sinto um perfume que meche muito comigo, cho que deve ser este manacazinho , por favor onde eu poderia ir para comprar muda etc?… obrigado

  6. José Antonio disse:

    Muitissimo obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s