E a cerejeira nativa das matas paulistanas foi criminosamente derrubada

A leitora Sonia Amorim lutou muito, mas não conseguiu evitar a destruição de uma árvore nativa rara na cidade de São Paulo. Destruída sem motivo, um exemplar antigo de cerejeira-do-rio grande (Eugenia involucrata Fam. Myrtaceae), provavelmente sobrevivente de matas nativas pré-urbanização, foi abaixo mesmo com a Sonia recorrendo as diversas  autoridades e imprensa. O exemplar habitava uma residência particular. Abaixo as fotografias de sua autoria.

A Secretaria Verde e Meio Ambiente do Município nos informou que o corte foi autorizado por o exemplar estar doente e duas árvores nativas foram plantadas a título de compensação.

A proprietária da árvore deveria refletir um pouco mais antes de solicitar o corte de uma árvore frutífera rara como essa. Depois reclama do calor, poluição, enchentes e barulho de São Paulo…

A velha cerejeira tendo sua copa cortada

Já sem a copa

Só sobrou o toco rente ao cimentado - menos qualidade de vida e equilíbrio ambiental para todos os paulistanos

Ricardo Cardim

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em destruição do verde em São Paulo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para E a cerejeira nativa das matas paulistanas foi criminosamente derrubada

  1. Leandro Macedo disse:

    Fico indignado com o prefeito Kassab permitir um negócio destes. Que política de meio ambiente hein!

    • sonia amorim disse:

      Prezado Leandro: Pasme! O caso é gravíssimo e no meu entendimento envolve ilícito criminal, conluio entre servidores públicos e particulares, parentes meus. O Subprefeito da Penha autorizou o corte baseado em laudo cheio de erros, assinado por agrônomo da subprefeitura. O agrônomo identificou a cerejeira como “pau-ferro” (!!!), afirmando que suas raízes estavam “corroídas”. A cerejeira, por ignorância da responsável, estava “cimentada”: o piso de cimento foi feito rente ao tronco e havia “sinais de envenenamento”, o que provocou uma lesão parcial no TRONCO! A árvore tem raízes profundas. O agrônomo da subprefeitura também não sabe a diferença entre tronco e raiz!!! O Subprefeito da Penha SE NEGA a me fornecer, para análise, cópia do laudo, do pedido de autorização de corte, da autorização de corte… se é que existem… e SE NEGA a fornecer o nome completo do tal agrônomo. Uma série de irregularidades e ilegalidades cercam o caso. O Prefeito Kassab também ignorou pedido meu de intervenção junto ao subprefeito para fornecimento dos documentos pedidos. A “grande imprensa”, notificada sobre os acontecimentos, preferiu silenciar! Se você quiser ajudar, dirija à Subprefeitura da Penha mensagem de protesto, pedindo que o Subprefeito forneça os documentos e informações pedidos por mim e abra PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO para apuração de responsabilidades. A Polícia Ambiental foi avisada 4 dias antes do corte e no próprio dia, e só apareceu 9 dias depois!!! A Secretaria do Verde e Ambiente, depois de vários comunicados meus, antes do corte, resolveu abrir investigação e fazer vistoria da árvore, mas “esqueceu” de pedir suspensão temporária da autorização do corte! Um absurdo!!! A Polícia Militar, chamada por mim na hora, pediu à responsável que aguardasse alguns dias, já que haveria vistoria da SVMA. A “responsável” NÃO ATENDEU o pedido da Polícia!!! A “responsável” é “professora do ensino público estadual”. Que péssimo exemplo pros seus alunos, se eles ficassem sabendo!… Para mim, o caso não está encerrado, como querem servidores e particulares envolvidos. Se você puder, Leandro, dirija ao Subprefeito da Penha mensagem de protesto, pedindo que ele forneça a mim os documentos e informações pedidos, porque não o fazendo ele VIOLA a Constituição Federal e a Lei Orgânica do Município. São Paulo e as árvores merecem respeito!!! Grata. Abraços.

  2. Marjorie disse:

    Olá Sônia, pelas fotos a gente consegue perceber o lamento e a dor, eu conheço bem essa história, quando um individuo sem capacidade nenhuma resolve agir contra a vida. O pior é que nós ficamos vendidos mesmo, porque quando fazemos essas denúncias ao poder público via fone 156, única forma legal, eles respondem que em até 40 dias algum fiscal irá passar no local para verificar a denúncia, um imbecil qualquer consegue cortar uma árvore em um dia. Na região da Vila Mariana o ex prefeito Sr. Pitta mandou cortar duas seringueiras centenárias na Pç Reinaldo Porchat, por nenhum motivo, para completar um projeto eleitoreiro, e deixou um mato até hoje no local, então se até o poder público exerce o seu exemplo, as árvores da cidade ficam sem defesas como o triste fim dessa bela cerejeira.

    • sonia amorim disse:

      Obrigada pela solidariedade, Marjorie. Por favor, leia a resposta que escrevi para o Leandro. Eu convivi durante 37 anos com a árvore, que NÃO apresentava “risco de queda”, como afirmou o subprefeito. Seu corte, que envolveu BRUTALIDADE e SELVAGERIA, foi apenas um “capricho” de uma pessoa irresponsável e ignorante, associado a ABUSO DE PODER e INCOMPETÊNCIA de servidores públicos. A árvore vinha sofrendo várias agressões: podas drásticas, para evitar folhas no telhado da “responsável”; colocação de caibros em seus troncos, para serem usados como “degraus” para se chegar ao telhado; cimentado rente ao tronco, não deixando entrar água da chuva… ausência total de cuidados… e havia indícios de envenenamento. A “responsável” foi avisada por dono de empresa de paisagismo que os maus-tratos poderiam provocar “multa violenta”, e resolveu ignorar a vistoria que seria feita pela Secretaria do Verde, SE NEGANDO a atender pedido da Polícia Militar para suspender o corte por alguns dias, derrubando a árvore. A “responsável” foi avisada por mim que era possível a RECUPERAÇÃO da árvore, desde que quebrasse o cimentado em volta, raspasse a parte lesionada, passasse “calda bordalesa” no tronco restante e providenciasse cuidados como adubação e nutrientes. A “responsável”, pessoa ignorante, prepotente e arrogante, é “professora do ensino público estadual”… Imagina o que ela pode ensinar aos alunos… Que triste exemplo! Mas ela conta com a “impunidade” e o “anonimato”… Peço a você o mesmo que pedi ao Leandro: se puder, dirija ao Subprefeito da Penha mensagem de protesto e pedido para que RESPEITE a Constituição Federal e a Lei Orgânica do Município, fornecendo a mim os documentos e as informações que pedi, e abrindo PROCESSO ADMINISTRATIVO para apurar responsabilidades e punir culpados. Pra mim, o caso não está encerrado, e eu vou continuar denunciando tais fatos deploráveis em todas as instâncias onde for possível. Grata. Abraços.

  3. Eduardo Siqueira disse:

    O Marmeleiro do campo ( plenckia populnea reissek ) `e uma das arvores mais importantes de Sao Paulo .Talvez….o unico exemplar existente em toda cidade ainda sobrevive na Alameda Jau ,proximo a Alameda Campinas nos Jardins :infelizmente foi descaracterizado por uma poda radical .Seria interessante resgatar a historia dessa arvore nativa ,com fotos mostrando sua forma original e se possivel produzir mudas apartir do exemplar original .

    • Ricardo Cardim disse:

      Eduardo,

      essa espécie é realmente raríssima na cidade mesmo. Esse exemplar acho que caiu há uns dois anos atrás e do seu lado sobrou essa árvore podada, também nativa, mas que não identifiquei e não parece ser o mameleiro, que era bem grande, com tronco de grande diâmetro. Você não teria foto do marmeleiro original da Jaú para postarmos aqui? Apoio totalmente a idéia de plantarmos a espécie, precisamos achar outra matriz…
      Abs
      Ricardo

  4. Alexander disse:

    A ignorância da população brasileira com relação ao meio ambiente é profunda. Indignado fiquei ao ver o que fizeram com uma arvore deste porte e idade. Indignado estou ao saber que a Prefeitura de Sao Paulo nao tem competencia para tomar conta das arvores. Pior, o Sr Governador posa de ecologista, mas apoia as decisões tomadas por um Kassab.

    Sonia Amorim parabenizo-lhe pela atitude correta em fotografar esta poda. Temos duas frentes de batalha. A primeira é bombardear de reclamações as sub prefeituras, enviar as fotos para a imprensa escrita, (infelizmente a nossa imprensa é tendenciosa), mas devemos continuar a alerta-los.
    A segunda frente é a que mais causa impacto, informe aos leitores o endereço onde ocorreu este crime ambiental. Conclame a sua rede de amigo protetor das arvores. Afixaremos cartazes na entrada deste casa, temos que infelizmente, tomar atitudes mais sérias contra pessoas ignorantes. Veja a atitude do Greenpeace. Arrojados, batalhodores, lutadores por uma causa. É isto Sonia, devemos nos unir e lutar por esta causa. Estou a sua disposição para iniciarmos um grupo de protetores

  5. sonia amorim disse:

    Alexander, grata pelo apoio. Por favor, leia as respostas que escrevi ao Leandro e à Marjorie. E encaminhe, se puder, protesto ao Subprefeito da Penha, que está comprometido com este ilícito, no meu entendimento. A mídia, impressa e televisiva, foi notificada de tal crime, e não se interessou em noticiar. Nada que arranhe as administrações Serra/Kassab interessa a eles… Quanto ao ativismo do Greenpeace, eu também o admiro, mas não podemos esquecer que eles são uma entidade, uma instituição, que conta com consultoria e apoio jurídico, enquanto nós, reles cidadãos, ficamos à mercê de ameaças e constrangimentos, como os que eu venho sofrendo… Claro que não devemos esmorecer nem nos acovardar. Mas devemos sempre nos manifestar de modo equilibrado, sóbrio, não dando margem para processos por dano moral e afins. Penso em criar um blog específico para postar denúncias fundamentadas e assinadas, sobretudo na cidade de São Paulo. Abraços.

  6. eduardo lima de siqueira disse:

    Ricardo , aqui é o Eduardo Siqueira . Enviei a fotografia do Marmeleiro do campo , PLENKIA POPULNEA , aquele exemplar da Alameda Jau .Por favor , confirme se voce recebeu .

  7. sonia amorim disse:

    Um ano depois do crime, o que tenho a dizer à Prefeitura de São Paulo, à Subprefeitura da Penha e à Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente é que a árvore NÃO estava doente. Doente está o administrador público incompetente, o servidor público relapso. Doente está a administração pública municipal que mantém em seus quadros gente atrasada, ignorante, prepotente, que infringe a Lei Orgânica do Município e nada acontece. Doente está a velha mídia, que não publicou denúncia contra o Subprefeito da Penha, comparsa deste ilícito.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s