A constante luta entre a natureza e a metrópole em São Paulo 1

 Quem vive em uma metrópole como São Paulo tem normalmente a impressão que a natureza foi totalmente vencida pelo asfalto e concreto. O que não se percebe é  a capacidade dessa natureza de continuar a ditar suas próprias regras em pleno território humano, e manter uma luta sem tréguas com o homem pelos espaços.

Áreas verdes desaparecem silenciosamente e outras surgem sobre escombros, grandes lagoas são aterradas. Toda essa incrível dinâmica pode ser observada do alto, através das fotos de satélites em ordem cronológica disponibilizadas pelo programa gratuito Google Earth.

Campo de Marte - Zona Norte - 2000.

Campo de Marte – Zona Norte – 2000.

Campo de Marte - Zona Norte - 2009.

Campo de Marte – Zona Norte – 2009.

Nessas fotos com nove anos de intervalo no Campo de Marte, uma grande área de movimentação de terra, completamente degradada e exposta, foi em menos de uma década coberta por uma vegetação densa, semelhante a matinha que já existia no entorno da foto de 2000, parecendo na imagem de 2009, um terreno intacto há muito tempo. 

Rodoanel trecho Oeste - 2002.

Rodoanel trecho Oeste – 2002.

Rodoanel trecho Oeste - 2009.

Rodoanel trecho Oeste – 2009.

Nas fotos acima é fácil observar o rápido processo de soterramento que essa grande lagoa na beira do trecho Oeste do Rodoanel  sofreu. Ao menos 1/3 da sua superfície desapareceu sobre novos aterros em sete anos. O fragmento de mata que existia no lado esquerdo do galpão branco e retangular do centro da foto também desapareceu em 2009. 

Anhembi - Zona Norte - 2002.

Anhembi – Zona Norte – 2002.

Anhembi - Zona Norte - 2009.

Anhembi – Zona Norte – 2009.

Escavações no Complexo do Anhembi ganharam em sete anos uma densa vegetação que sugere uma mata em formação, com arbustos e árvores. Como ficará se deixada intocada por mais sete anos?

Avenida Guido Alberti - São Caetano do Sul - 2004.

Avenida Guido Alberti – São Caetano do Sul – 2004.

Avenida Guido Alberti - São Caetano do Sul - 2011.

Avenida Guido Alberti – São Caetano do Sul – 2011.

Aqui na Avenida Guido Alberti, uma cena digna de figurar nas alterações propostas ao Código Florestal – Uma rara mata ciliar urbana com trechos em plena recuperação devastada até não sobrar vestígios para servir de estacionamento de carros.

Interessante notar que normalmente nos processos de retomada da vegetação em uma área, as plantas que as ocupam são em sua maioria não-nativas do ambiente original, sendo o resultado de pertubações humanas nos processos ecológicos. Mais sobre esse assunto pode ser visto no artigo abaixo:

 http://arvoresdesaopaulo.wordpress.com/2010/10/05/uma-floresta-sobre-o-rio-pinheiros/

Ricardo Cardim

About these ads

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em árvores, Biodiversidade paulistana, destruição do verde em São Paulo, marginais Tietê e Pinheiros, meio ambiente urbano, meio ambiente urbano em São Paulo, plantas invasoras, São Paulo e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A constante luta entre a natureza e a metrópole em São Paulo 1

  1. Parabéns pelo post, muito bom! E a luta continua!
    Em nosso último post citamos você e o seu blog, confira: http://vandaloverde.blogspot.com.br/2012/06/denuncia-arvore-cimentada.html

    Um abraço e até mais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s