A incansável luta entre o verde e o concreto na cidade de São Paulo

Frase que gosto de repetir é “Até quando o verde da cidade cederá espaço para carros e construções?” Acredito refletir bem o que ocorreu e ainda continua acontecendo com a cidade que virou metrópole em pouco mais de um século.

No último mês reparei em uma situação bem emblemática dessa luta constante, onde no final, o que está em jogo é a nossa saúde e qualidade de vida. Nas obras de um acesso da pista expressa para a local da marginal do Rio Pinheiros, próxima a nova estação de metrô e da ponte Eusébio Matoso no sentido Zona Norte, existe no canteiro central uma série de belas paineiras (Ceiba speciosa) ainda jovens, plantadas há poucos anos e crescendo bem e com saúde, mesmo em todo aquele caos.

Nas atuais obras de ampliação e novos muros de concreto, as arvores foram poupadas, fruto dos novos tempos, mas… Bem, as fotos falam por si só.

 

Quem ganhará essa luta? Eu torço e acredito na paineira, espécie de tronco especialmente robusto (já vi exemplares com 2 metros de diâmetro), que não fará muito esforço para em alguns anos derrubar esse “encosto”.

Ricardo Cardim

About these ads

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em arborização urbana, Árvores de São Paulo, árvores, verticalização de São Paulo e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para A incansável luta entre o verde e o concreto na cidade de São Paulo

  1. MArina Medici disse:

    muito bom seus argumentos, a luta é intensa.
    Ano passado salvei uma paineira de 100 anos na frente de casa.
    Um condominio comprou o terreno e foi obrigado a preserva-la mas depois de um ano tentou derubar o “incomodo gigante”. Com documentos falsos, trocando o nome de paineira por palmeira, chamou uma equipe na calada da noite para com cordas começar a mata-la. Pórem a mobilização do bairro se manifestou, se agilizou, e ela esta aqui até hoje diante de mim.
    Somente com a união das pessoas será possivel termos uma cidade mais viva.

    • Ricardo Cardim disse:

      Olá Marina, é verdade! Se não fizermos nada não sobra um verde… abs

  2. Julia disse:

    ótima sacada Ricardo! Mas aí realmente as árvores vão providenciar sua soltura do concreto em breve!

  3. David Kim disse:

    Estou com várias paineiras subdesenvolvidas em um vaso grande, há tempos procurando cantos na minha região onde possa plantá-las sem chamar atenção. Vejam a situação a que chegamos. O Governo não se preocupa se o que planta é nativo ou se cumpre alguma função no frágil ecossistema urbano. E os indivíduos conscientes têm de plantar clandestinamente, como se resgatar um pouco da vegetação nativa tivesse se tornado um crime.

  4. Gustavo Moreira disse:

    Estou sempre observando esses casos, diversas árvores são sufocadas com cimento nas calçadas, como é triste ver.

    Ricardo, enviei um e-mail a você pedindo sua ajuda para identificar uma árvore, recebeu?

    Abraço e parabéns pelo trabalho.

  5. patkovacs disse:

    Quando ela começar a derrubar o muro, derrubam ela. Contra o homem, nem deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s