Perda de biodiversidade em São paulo pela invasão de plantas estrangeiras: bromélias x chefleras

Cheflera epífita em jacaranda-mimoso no Jardim Europa

Cheflera epífita em jacaranda-mimoso no Jardim Europa

Bromelia da Mata Atlantica na Cidade Universitária

Bromélia da Mata Atlantica na Cidade Universitária da USP

O ato, muitas vezes  bem intencionado, de trazer plantas de outros países e Estados para decorar nossos jardins e casas pode ser na verdade uma ação tão destruidora quanto queimar uma floresta. Isso pode soar como um exagero ou sensacionalismo para o amigo do verde, e realmente  eu gostaria que fosse!

Mas a questão, é que em cidades como São Paulo, inúmeras espécies nativas perdem espaço ou desaparecem por causa de ações singelas como as escolhas para o paisagismo e decoração. A biodiversidade desaparece em um ritmo crescente e na maioria das vezes, sem que possamos perceber.

Uma das plantas nativas quase extintas hoje na metrópole são as bromélias e orquídeas, que viviam em cima das árvores usando-as apenas como suporte (não são parasitas). Em seu lugar, uma espécie australiana extremamente agressiva ocupou os espaços – a cheflera (Schefflera actinophylla – família Araliaceae).

Trazida pelos viveiristas para vasos e ambientes internos, foi a árvore decorativa da moda das décadas de 1980 e 1990, quase todo escritório e agência bancária tinha a sua. Quando ficavam grandes para o espaço, acabavam plantadas nas calçadas e jardins.

 Os passáros se acostumaram com seus frutos chamativos e os dispersaram nas árvores da Capital, ocupando o nicho que era das bromélias, orquídeas e algumas figueiras nativas, as epífitas paulistanas da Mata Atlântica. Atualmente tem cheflera de mais de 8 metros de altura em algumas árvores urbanas.

Perda de biodiversidade não tem volta, e quando tem, custa muito.

Ricardo Henrique Cardim

Cheflera com mais de 6 metros de altura sobre árvore (sibipiruna) no Alto de Pinheiros

About these ads

Sobre Ricardo Cardim

www.arvoresdesaopaulo.com.br
Esse post foi publicado em árvores com epífitas, Biodiversidade paulistana, plantas invasoras e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Perda de biodiversidade em São paulo pela invasão de plantas estrangeiras: bromélias x chefleras

  1. Marcos disse:

    Amigo Ricardo,
    Existe um ipê- roxo, com mais ou menos 20 anos ,e ultimamente nos
    dias mais abafados têm saido colônias numerosíssimas de cupins;pergunto :O que
    fazer?Também me disseram que têm uma corrente de ferro ,que haviam colocado
    em volta dela e com o tempo éla ,como direi? engoliu a mesma(sic).Isto é problema?
    Como resolver? A corrente não é visível ,mas têm uma saliência no tronco que pode ser
    a corrente.
    Mudando de assunto encontrei uma árvore em Jundiaí,ninguém sabia me dizer ,quem éra ela ,me disseram que éra do nordeste brasileiro? Dá uma olhada e vê se
    você conhece, me apresenta ,que ela é uma graça.
    Um abraço !
    Marcos.

  2. dalva disse:

    Acredito que a maioria das pessoas desconhece a malignidade dessa planta estrangeira. Se bem que muitos não estão nem aí para a ecologia. Me diz, ela mata a sua hospedeira ou nem?

    • Ricardo Cardim disse:

      Não a mata diretamente, mas pode levar a a queda da árvore devido a excesso de peso. abraços

  3. dalva disse:

    Eu não sabia! Aliás, tenho quase certeza de que as pessoas que plantaram essa verdadeira praga não sabiam de sua pernosticidade. É até bonitinha… Ela mata a outra é?

  4. Renato Barreto disse:

    Ricardo, sou de Limeira-sp. Tenho observado, nas arvores do clube que frequento, um mumero excessivo de parasitas. São pequenas plantinhas que se fixam no caule ou nos galhos das arvores. Umas são semelhantes a um pé de abacaxi bem pequenino outras parecem uma taturana, eu acho, tambem do tamanho de um CD apenas. Os galhos infectado vai morrendo e seca.

    Se puder me responda:
    a- qual o nome desses parasitas?
    b- realmente matam a arvore?
    c- nem todas as plantas são vuneraveis a esses parasitas, ou algumas são resistentes?
    d- com as arvores foram infectadas?
    e- como elimino esses parasitas?

    obrigado, também respeito a natureza e quero ajuda-la

    RENATO

    • Ricardo Cardim disse:

      Renato,

      para eu poder ajudar vc poderia me enviar uma foto do “parasita” para o e-mail?

      att

  5. walkiria disse:

    não achei resposta para o que estou procurando, que é ou quais são os danos causados pelos parasitas na biodiversidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s